MINISTÉRIO ADVENTISTA DAS POSSIBILIDADES

O Ministério Adventista das Possibilidades (MAP) é um ministério que muda vidas! Às vezes é referido como “Ministérios para necessidades especiais”. O lema deste ministério afirma claramente um princípio subjacente no qual sua existência se baseia:
“Todos são dotados, necessários e valorizados!” Este ministério é sobre carinho e inclusão. Envolve educação e aceitação por todos e o desenvolvimento de planos que ajudarão a criar oportunidades de envolvimento e um sentimento de pertença para a pessoa com necessidades especiais. É um ministério que chama todos para uma vida de serviço. Incluídos no MAP estão sete categorias amplas de ministério: Surdos, cegos, deficientes físicos, deficientes emocionais e mentais, órfãos e crianças vulneráveis, viúvos e cuidadores. A necessidade deste ministério é claramente declarada por Ellen White quando ela escreveu:

“Vi que é pela providência de Deus que viúvas e órfãos, cegos, surdos, coxos e pessoas aflitas de várias maneiras foram colocados em estreito relacionamento cristão com Sua igreja, para provar Seu povo e desenvolver seu verdadeiro caráter. Anjos de Deus estão vigilantes para ver como tratamos essas pessoas que precisam de nossa simpatia, amor e benevolência desinteressada. Este é um teste de Deus para o nosso caráter. Se tivermos a verdadeira religião da Bíblia, sentiremos que uma dívida de amor, bondade, e com juros, é devida a Cristo em favor de Seus irmãos; e não podemos fazer menos do que mostrar nossa gratidão por Seu amor incomensurável por nós enquanto éramos pecadores indignos de Sua graça, tendo um profundo interesse e amor altruísta por aqueles que são nossos irmãos e que são menos afortunados do que nós.” —Testimonies for the Church 3: 511.

Por décadas, aqueles que não eram capazes de ver, ouvir, andar ou se comunicar como os outros costumavam ser chamados de “deficientes”. Embora seja importante reconhecer as próprias limitações, ser identificado dessa forma pode ter um efeito desmoralizante na auto-percepção da própria pessoa. Muito freqüentemente, a atenção é dada apenas ao que uma pessoa não pode fazer ou não tem, e não às possibilidades que estão diante dela. As percepções se tornam fortalecedoras quando a dignidade e as habilidades inerentes de cada pessoa têm prioridade. Isso pode ser visto de pelo menos três maneiras:


Primeiro, o valor e a importância de cada pessoa são enfatizados. Aos olhos de Deus, cada pessoa tem um propósito. Cada pessoa é especial. Deus tem um plano para cada indivíduo (Jeremias 29:11). Como resultado, quando esse entendimento é compreendido, o pensamento e as ações mudam. Com Deus no centro e não as deficiências ou o que falta, a esperança é reavivada. A vida se torna mais sobre possibilidades do que impossibilidades.


Em segundo lugar, quando outras pessoas veem as pessoas com “deficiências” ou que sofreram perdas de várias maneiras, elas se relacionam de maneira diferente. Algumas décadas atrás, um importante princípio de mudança de vida foi declarado sobre o impacto que outras pessoas podem ter. “Se quisermos fazer o bem às almas, nosso sucesso com essas almas será proporcional à sua crença em nossa crença e apreciação por elas.” Qualquer que seja o desafio, devemos ter conversas mais envolventes sobre esperança e o que é possível. O poder da auto-motivação vem mais facilmente quando se entende que alguém acredita e os entende! 


Em terceiro lugar, falar de outros como sendo “deficientes” ou “incompletos” sugere que os outros não têm suas próprias limitações. Isso simplesmente não é verdade. Todos precisam de integridade. Embora os Ministérios de Possibilidade Adventista reconheçam as limitações de um indivíduo, não para por aí. Nem o ministério simplesmente se concentra em tentar “consertar” uma necessidade percebida.


Simplificando, a pessoa é importante. Independentemente do que seja percebido como deficiência ou perda, o pensamento de possibilidade busca oportunidades e busca inspirar confiança. O foco dos Ministérios de Possibilidade é menos sobre o que uma pessoa não pode fazer (a deficiência) e mais sobre libertar a pessoa de estigmas e marginalização para que ela e sua comunidade experimentem as possibilidades que Deus colocou ao seu alcance.


Construir relacionamentos com essas pessoas é importante. Ninguém deve ser deixado para enfrentar as dificuldades da vida sozinho. Afirmação e aceitação são importantes. Nós precisamos um do outro. Este princípio é esclarecido em Eclesiastes 4: 9,10,
Dois são melhores do que um, porque eles têm um bom retorno pelo seu trabalho: se um deles cair, um pode ajudar o outro a subir. Mas tenha pena de quem cai e não tem ninguém para ajudá-lo a se levantar.


Este é um ministério sobre cuidar, promovendo atitudes e práticas de inclusão. É um trabalho pessoal que Jesus teria priorizado. Trata-se de ajudar os indivíduos, independentemente das limitações físicas, emocionais ou mentais, a descobrir suas “possibilidades” inexploradas. Trata-se de cuidar daqueles que sofreram uma perda ou separação, sejam os pais (órfãos / crianças vulneráveis) ou o cônjuge (viúvos e divorciados). É também sobre cuidar dos cuidadores, pois muitas vezes são eles que cuidam dos feridos e deficientes. Rótulos que depreciam o senso de autoestima e exaustão de uma pessoa são substituídos por confiança, esperança e encorajamento.


Os Ministérios de Possibilidade Adventista são um movimento de base com defesa organizacional pela Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia. Este é um ministério impulsionado pela graça de Deus e, portanto, funciona por um sentimento de gratidão pelo que Ele fez e está fazendo por cada um de nós. Ministramos não por um senso de dever, mas por um senso de gratidão. Uma esperança enraizada no amor de Deus não irá decepcionar nem envergonhar (Romanos 5: 5). Está ancorado na restauração do propósito e dignidade que Deus deu a cada vida. Esse tipo de compaixão é nada menos do que estender o ministério de Jesus a todos.

Leia também:

https://www.revistaadventista.com.br/da-redacao/destaques/ministerio-inclusivo/
https://noticias.adventistas.org/pt/noticia/servico/igreja-define-ministerio-paraservico-em-favor-de-pessoas-com-deficiencia/